PROJETO

Jovens Atletas de Favela

PATROCINADO EM 2015 POR

Lucas Santanna

Jogador de Futebol ganhador de 18 Títulos | Morador do Complexo do Alemão | Rio

Tudo indica que Lucas Santanna, 18 anos,  é recordista - na sua idade - com 17 títulos no Futebol Brasileiro. Em Julho de 2018, trouxe mais um troféu agora, internacional, de Orlando, nos EUA, para o time que representou a Cidade do Rio de Janeiro, classificando entre os 3 melhores do Mundo. 

Com o troféu que classificou o time de Lucas dentre os três maiores no Campeonato Mundial que reuniu 20 times do mundo todo e, do Brasil, já se sabe que Rio de Janeiro e São Paulo estão de malas prontas.

O cara é destes heróis anônimos das favelas do Rio. Anônimo para a maioria porque, no Complexo do Alemão

​ele já é ídolo. Apenas nos últimos 6 anos, acumulou mais de 16 títulos e troféus, quase todos de Time Campeão, Melhor Jogador em campo e Jogador Revelação.

 

Lucas despontou cedo, com 9 anos. Nascido no Complexo do Alemão em 18 de Abril de 2000, chegou rápido ao pódium e ao topo quando passou na peneira do Centro de Treinamento do Flamengo para jogar n​a categoria

​Sub16.​​

Uma tragédia levou seu pai precocemente​ e Lucas, com dificuldades financeiras até para se deslocar aos Treinos em Vargem Grande, se viu obrigado a parar os treinos. 

Na próxima Quinta-feita dia 19, Lucas embarca com a Delegação Carioca para defender o Rio de Janeiro no Campeonato Mundial de FutSal em Orlando (EUA) na Categoria Adulto. Outras Seleções como a de São Paulo também vão, defender suas cidades.

 

Para um menino que começou sua vida de jogador, artilheiro e campeão na Favela, o Futebol de Base no Brasil é ainda mais cruel porque, muitas vezes, meninos craques como Lucas se defrontaram até com falta de dinheiro para a passagem e não puderam treinar, abandonaram a chance e chegaram a jogar em jejum… com fome, como aconteceu no Campeonato nacional CBF7 em Brasília (2014). Mesmo assim, são estes heróis anônimos que acabam trazendo para o Estado do Rio, a taça de Campeão Brasileiro e Lucas, Artilheiro e Melhor Jogador. Jogando sem uniforme, com fome e sofrendo boullying porque o time chegou empurrando ônibus velho enguiçado. 

 

A chance de jogar um Campeonato Mundial é o reconhecimento que Lucas esperava e, se for como tem acontecido nos últimos anos, Lucas vai fazer a diferença no jogo e bater recordes de artilharia já que tem sido sempre assim.

Na foto, tirada em 2015, Lucas está na extrema direita, junto com alguns jogadores do Projeto Jovens Atletas de Favela que se preparavam para defender o título de Campeões Brasileiros, visitaram o Time Master Campeão do Mundo do Flamengo e tiveram apoio para realizar a viagem.